Notícias

04 outubro 2019

Grande Greta

fotoibdmar

Por Giselli Nichols
Mestre em Estudos Marítimos pela Escola de Guerra Naval

Grande Greta

A atitude da jovem Greta Thunberg de embarcar em um veleiro sustentável para participar recentemente da conferência sobre o clima na ONU chamou a atenção do mundo. A sueca de 16 anos partiu de Londres no dia 14 de agosto rumo a Nova York numa viagem pelo Atlântico junto com seu pai e mais três pessoas.

A ativista, que ficou conhecida por fazer uma “greve climática” em Estocolmo, sua cidade natal, em 2018, trouxe para o debate o engajamento das novas gerações em temáticas de importância mundial como o uso de alternativas não poluentes. Portadora da síndrome de Asperger, um transtorno do espectro do autismo que afeta a sociabilidade e a linguagem corporal, ela não se deixa intimidar por críticas e opiniões mal-intencionadas a respeito de sua ideologia.
Greta se recusou a pegar um avião por causa das emissões de carbono. Decidiu fazer sua viagem transatlântica a bordo do Malizia II, um veleiro de 18 metros equipado com painéis solares e turbinas submersas para produção de eletricidade para a embarcação. A vida a bordo, no entanto, estava longe do conforto de costume. Sem banheiro e nem chuveiro, a tripulação precisou utilizar um balde separado para suas necessidades básicas. A comida, à base de produtos desidratados, garantiu o preparo da alimentação, já que também não havia cozinha. Vegana, como toda tripulação, Greta não come carne há alguns anos por causa das emissões de carbono associadas à produção de proteína animal.O vento e a umidade marinha completavam o ambiente da navegação, cuja velocidade alcançava 70 km por hora em média.

Com um dia de atraso, o Malizia II chegou ao seu destino no dia 28 de setembro. Foi recebido por uma pequena frota de 17 veleiros da ONU, um para cada objetivo de desenvolvimento sustentável, em uma saudação de boas-vindas à adolescente e ao seu objetivo de despertar a atenção para as causas climáticas.

Apesar de ter sido uma decisão com seus riscos, Greta não teve a intenção de dizer como as pessoas devem ou não viajar. Seu gesto representa muito mais do que isso. É revestido de uma simbologia positiva e inspiradora, que nos leva a olhar o mundo com mais esperança pela lente de jovens que lutam pelo bem maior: a própria humanidade. Grande Greta <3!