Notícias

17 agosto 2019

Nova York se prepara para trabalhar com pescadores em pesquisa eólica offshore

Por Kirk Moore

Autoridades ligada à produção de energia do estado de Nova York anunciaram que têm sido alocados mais de US$ 2 milhões para o desenvolvimento de novos estudos sobre possíveis impactos sobre a pesca e a vida selvagem com a implementação da energia eólica offshore na região.

Os projetos incluem esforços conjuntos com a Responsible Offshore Development Alliance, uma coalizão de grupos de pesca da costa leste que vem defendendo que os governos estadual e federal avancem mais cautelosamente em propostas de enormes conjuntos de turbinas em águas do Nordeste e do Meio Atlântico.

Os próximos estudos pretendem dar continuidade aos iniciados em 2017 pela Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento de Energia do Estado de Nova York [NYSERDA, na sigla inglesa], incluindo levantamentos aéreos de aves, mamíferos marinhos, tubarões e cardumes de peixes, que foram concluídos na primavera de 2019, após a coleta de mais de 3,5 milhões de imagens de toda a Baía de Nova York.

O NYSERDA originalmente estabeleceu 20 estudos de questões ambientais, sociais, econômicas e regulatórias com a construção de energia eólica offshore em uma das vias marítimas mais movimentadas do país. Os novos estudos serão voltados para análise de questões ambientais, marítimas e sociais.

A autoridade energética realizou uma solicitação competitiva de propostas em cinco categorias: dinâmica do ecossistema, acesso à pesca comercial, melhores abordagens de monitoramento de projetos eólicos offshore antes e depois da implementação do sistema de geração de energia, buscando utilizar melhor dados “não tradicionais” – incluindo efetivamente o conhecimento local dos pescadores na tomada de decisões –, bem como efeitos de modelagem de empreendimentos eólicos offshore.

Segundo Annie Hawkins, diretora executiva da Responsible Offshore Development Alliance, em uma declaração conjunta com o NYSERDA, protagonizar os pescadores nesse processo representa uma “oportunidade de desenvolver uma infraestrutura de dados orientada para o setor, fazendo com que que o extenso saber naturalístico dos pescadores seja melhor incorporado à tomada de decisões, sendo dos principais contribuintes para o não-conflito de múltiplos usos do oceano, valorizando a importância da profunda especialização das comunidades pesqueiras em relação aos ecossistemas oceânicos”.

Os grupos de trabalho incluem pescadores, especialistas federais em energia e vida selvagem e pesquisadores ambientais:

Laboratório Nacional de Energia Renovável com a Aliança de Desenvolvimento Offshore Responsável e outros – Desenvolvimento colaborativo de estratégias e ferramentas para abordar a pesca comercial: Um projeto de US$ 500.000 para abordar a necessidade de entender e desenvolver soluções para acesso seguro e eficiente a áreas de pesca, garantindo que os projetos de energia offshore atendam às suas metas operacionais.

Aliança de Desenvolvimento Offshore Responsável – Criação de uma Confiança de Dados para inclusão efetiva do conhecimento dos pescadores na tomada de decisão de energia eólica offshore: Um projeto de quase US$ 300.000 para desenvolver produtos científicos de alta qualidade baseados em evidências que podem melhorar a tomada de decisões para offshoredesenvolvimento eólico, com benefícios adicionais para avaliação baseada em ecossistemas e avaliação e gestão de estoques pesqueiros.

Biodiversity Research Institute – Relações multiescala entre predadores marinhos e peixes forrageiros: Um projeto de quase US$ 500.000, com duração de três anos, projetado para entender melhor as ligações entre peixes forrageiros e aves marinhas, e implicações do desenvolvimento do vento offshore no comportamento e distribuição das aves marinhas.

Ecologia e meio ambiente – Pesquisa ambiental e pesqueira para a energia eólica offshore: um projeto de 18 meses e US$ 500.000 para desenvolvimento de informações sobre a dinâmica espacial e temporal da distribuição de características oceanográficas na Baía de Nova York.

US Fish and Wildlife Service – Desenvolvimento de protocolos de monitoramento para estudos de nanotag em parques eólicos offshore: um projeto de dois anos, cerca de US$ 300.000 para desenvolver diretrizes padronizadas para informar o uso de transmissores miniatura em VHF (frequência muito alta) para monitorar aves e pássaros em relação ao desenvolvimento de energia eólica offshore.

O serviço de vida selvagem trabalhará com a Universidade de Rhode Island, a Bird Studies Canada e o Bureau of Ocean Energy Management para desenvolver protocolos padronizados para rastrear movimentos de aves no mar, disse Pamela Loring, bióloga do Fish and Wildlife Service.

A NYSERDA também está pesquisando a relação entre a pesca e a produção de energia eólica offshore no sentido de ajudar seus planejadores a expandir o alcance e o engajamento com comunidades pesqueiras comerciais e recreativas em toda a região e no sul da Nova Inglaterra. O prazo para as inscrições é 19 de agosto de 2019.

 

Notícia traduzida do inglês por Fabio Oliveira, estagiário do IBDMAR.